quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

UM CONCEITO A MEU FAVOR

Um conceito sem um deus com o dedo em riste e cenho franzido. Ele está lá, no inconsciente de cada um de nós.
Como poderá viver a humanidade, sem um deus que determina infernos e punições. Que determina pecados. Como vamos viver sem um deus a nos ditar regras enquanto faz ameaças?
Como viver sem sacerdotes, gurus e policia?
Como viver sem juízes e sem propriedades?
Como viver de modo a respeitar todas as manifestações do Khosmos simplesmente por que tudo, da mesma forma que eu, quer viver bem?
Ética é respeitar o direito do próximo. Moral é viver de acordo com a “sua” fala.
O selvagem precisa de lei. O Khosmico volita no infinito, de planeta em planeta. Não traz nada e nada leva. Nada dá de si. Pega ali do Khosmos e entrega além.

Selvagens ignotos se apoderam de partículas do infinito e dizem ser donos do que possuem. Sentam-se sobre elementos que se dissolvem, e se acercam de aglomerações que explodem. E, só respeitam se não houver testemunhas contrárias, caso contrário, sempre agridem o direito do próximo.

2 comentários:

Zélia Chamusca disse...

Belo texto que nos convida à reflexão e, pena é que quem tem o poder, no mundo, não se interrogue. Mas, o egoismo, não obstante Deus, que não pune mas que nos dotou de liberdade para agirmos em consciência,praticando o bem, o egoismo, repito,os conduz ao caminho traçado no sentido do mal e não olha a punição...

Minhas felicitações!
ZCH

Casa Própria Financiada em 30 anos sem juros disse...

Esta lei da selva sempre me pareceu muito selva planetária demais, é duro conviver nestas bandas do cosmos, e não sentir-se roubado particularmente. Linguagem é nada, é roupa que se veste olhando para a matriz de todas as outras culturas anteriores ao próprio e anterior advento.